OS DESAFIOS DA LIDERANÇA (Josué 1.1-9)

Sucedeu, depois da morte de Moisés, servo do Senhor, que este falou a Josué, filho de Num, servidor de Moisés, dizendo: Moisés, meu servo,  é morto; dispõe-te, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo,  à terra que eu dou aos filhos de Israel.

Todo lugar que pisar a planta o vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés. Desde o deserto e o Líbano até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até ao mar Grande para o poente do sol será o vosso limite.

Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei,  nem te desampararei. Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento,  prometi dar a seus pais.

Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies,  nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.

Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.

Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares. Josué 1.1-9    

Introdução   Podemos tirar várias lições deste texto da Palavra de Deus;   Mas neste momento gostaria de focalizar nossa atenção apenas nos desafios que o líder Josué enfrentaria em sua jornada de servo.  

Nossa vida pessoal, espiritual e profissional evidentemente é cheia de desafios.   O texto bíblico de Josué 1.1-9 nos apresenta três responsabilidades as quais exemplificam os desafios de um líder em sua jornada cristã e sobretudo no exercício da liderança.    

I - A BUSCA PELA BENÇÃO  

Nestes primeiros versos Josué foi desafiado a conduzir o povo de Deus a tomar posse da benção. Esta benção era a terra de Canaã, a qual Deus prometeu aos patriarcas muitos anos depois.   Deus prometeu aquela terra a Abraão:

“Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma benção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra ... Partiram para a terra de Canaã; e lá chegaram. Atravessou Abrão a terra até Siquém, até ao carvalho de More. Nesse tempo os cananeus habitavam essa terra. Apareceu o Senhor a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao Senhor que lhe aparecera.”  

Deus prometeu aquela terra a Isaque:

“Apareceu-lhe o Senhor e disse: Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser; habita nela, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai. Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas as terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra; porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis.”

Deus prometeu aquela terra a Jacó:

“Tendo chegado a certo lugar, ali passou a noite, pois já era sol-posto; tomou uma das pedras do lugar, fê-la seu travesseiro e se deitou ali mesmo para dormir. E sonhou: Eis posta na terra uma escada cujo topo atingia o céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. Perto dele estava o Senhor e lhe disse: Eu sou o Senhor, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, eu ta darei, a ti e à tua descendência. A tua descendência será como o pó da terra; estender-te-ás para o Ocidente e para o Oriente, para o Norte e para o Sul. Em ti e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra.”  

Depois que Deus fez esta promessa aos patriarcas (Abraão, Isaque e Jacó), passou mais ou menos quinhentos anos para o Senhor convocar Josué para assumir a liderança da nação. Chega então o momento mais esperado do povo de Deus: “TOMAR POSSE DA BENÇÃO”, e a responsabilidade em ordena-la estava sobre Josué, filho de Num, servidor de Moises.  

Para ordenar a benção é necessário saber como toma posse da mesma. Devemos apropriar da benção pela fé, e depois ordena-la.

Diz assim, o verso 3 e 4:

“Todo lugar que pisar a planta o vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés. Desde o deserto e o Líbano até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até ao mar Grande para o poente do sol será o vosso limite.”  

É necessário também que tomemos decisão, como nos diz o verso 2:

“dispõe-te, agora, passa este Jordão, tu  e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel.”

Se não entrarmos em ação, não haverá benção. Este verso nos traz grandes lições, e eu gostaria de expressar o significado de outra maneira: “Tenha disposição, entre em ação, veja adiante as bênçãos que eu reservei para vocês, apenas entre em ação agora”.

Sendo assim, o líder deve ver a benção de Deus, agir e conduzir seus liderados a tomar posse dela.   Dispor-se traz-nos a idéia de ação e implica em tomada de decisão imediata.  

Aplicação:

À luz destes versos da Palavra de Deus somos informados que Deus nos concedeu uma benção e por mais que o tempo passe Ele há de nos concede-la, basta que tomemos posse da mesma. Mas para que isto aconteça, Deus levanta seus líderes com a responsabilidade de conduzir seus liderados junto à benção.    

II – A CERTEZA DA VITÓRIA  

Gostaria de afirmar que uma das maiores dificuldades de um líder está relacionada aos desafios impostos pela frente. O futuro sempre será um incógnita para quem exerce a liderança. Embora possamos fazer planejamentos estratégicos mesmo assim, nosso futuro é obscuro. Josué não sabia com certeza a reação dos inimigos deles em sua caminhada de conquista da terra prometida.

Com certeza absoluta os inimigos que estavam pela frente eram bem preparados para a guerra, e a história diz que haviam até gigantes assustadores, e é por isto que Josué envia espias, para averigua-los.   Quando lemos em Números capítulo 13.31-33, percebemos que estes inimigos eram muito fortes e que os filhos de Israel estavam numa condição inferior destes:

“Porém os homens que com ele tinham subido disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós. E, diante dos filhos de Israel, infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra que devora os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura. Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos”.

Ao mesmo tempo em que eles tinham dificuldades pela frente ao mesmo tempo poderiam seguir o plano divino, como lemos em Deuteronômio 7..18-24

“ ... Delas não tenhas temor; lembrar-te-ás do que o Senhor, teu Deus, fez a Faraó e a todo o Egito; das grandes provas que viram os teus olhos, e dos sinais, e maravilhas, e mão poderosa, e braço estendido, com que o Senhor, teu Deus, te tirou; assim fará o Senhor, teu Deus, com todos os povos, aos quais temes ... Não te espantes diante deles, porque o Senhor, teu Deus, está no meio de ti, Deus grande e temível. O Senhor, teu Deus, lançará fora estas nações, pouco a pouco, de diante de ti; não poderás destruí-las todas de pronto, para que as feras do campo se não multipliquem contra ti. Mas o Senhor, teu Deus, tas entregará e lhes infligirá grande confusão, até que sejam destruídas. Entregar-te-á também nas mãos os seus reis, para que apagues o nome deles de debaixo dos céus; nenhum homem poderá resistir-te, até que os destruas”.

Importante notar que o Senhor Deus apresentou o plano da vitória ao seu povo diversas vezes, e no capítulo 9 de Deuteronômio Ele volta a frisar novamente o plano da vitória:

“Ouve, ó Israel, tu passas, hoje, o Jordão para entrares a possuir nações maiores e mais fortes do que tu; cidades grandes e amuralhadas até aos céus; povo grande alto, filhos dos anaquins, que tu conheces e de que já ouvistes: Quem poderá resistir aos filhos de Enaque? Sabe, pois, hoje, que o Senhor, teu Deus, é que passa adiante de ti; é fogo que consome, e os destruirá, e os subjugará diante de ti; assim, os desapossarás e, depressa, os farás perecer, como te prometeu o Senhor. Quando, pois, o Senhor, teu Deus, os tiver lançado de diante de ti, não digas no teu coração: Por causa da minha justiça é que o Senhor me trouxe a esta terra para a possuir, porque, pela maldade destas gerações, é que o Senhor as lança de diante de ti. Não é por causa da tua justiça, nem pela retitude do teu coração que entras a possuir a sua terra, mas pela maldade destas nações o Senhor, teu Deus, as lança de diante de ti; e para confirmar a palavra que o Senhor, teu Deus, jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó”.  

Se analisarmos profundamente estas duas passagens bíblicas, percebemos que a vitória do povo de Deus, independia apenas da ação humana, mas impreterivelmente da ação divina. E o desafio de Josué era ensinar aos seus liderados que a vitória sobre seus inimigos era garantida. Portanto, é um desafio o líder inculcar na mente de seus liderados a certeza da vitória.  

Vejamos novamente o que diz o verso 5 e 6:

“Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei. Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais”.    

Aplicação:

À luz destes versos da Palavra de Deus novamente percebemos o quanto é difícil e é desafiador acreditar na vitória em meio às impossibilidades humanas. Mas Deus levantou o seu líder e o desafiou a acreditar e ensinar seu povo a ter certeza absoluta da vitória, principalmente em meio àquelas incertezas.   

III  – A COMPANHIA DE DEUS  

Gostaria de afirmar que é um grande desafio estar na presença de Deus. Lamentavelmente muitos não têm a mínima consciência do que é estar juntinho ao Senhor. Cada vez que medito no momento em que Moisés pediu para ver o Senhor, fico pensando o quão é desafiador estar junto ao Senhor.

O Senhor é santo, puro, justo, bom, etc ... e nós somos impuros, agimos muitas vezes com injustiça, e somos maus pecadores. Herdamos uma natureza pecaminosa e fica desafiador estar na companhia do Deus Santo.

Outra questão que gostaria de afirmar está com relação ao exercício da liderança. Josué estava trabalhando para Deus, e diante de Deus. Aqui é o Deus-Senhor versus o homem-servo. Josué estaria executando todas as tarefas diante de seu Senhor. O Senhor estava vendo tudo o que ele fazia, e nada escaparia de Seus olhos.

O Senhor afirma a Josué: “Eu estou contigo”. Antes que Josué pensasse e proferisse uma palavra o Senhor da seara já sabia.   O líder não pode esquecer que Deus está vendo tudo que ele realiza. Portanto, todos os planos do líder devem ser submetidos primeiramente ao Senhor.

Às vezes nossas lideranças disputam opiniões que não levam a nada, quando o certo deveria deixar que o Senhor da seara avaliasse primeiramente. Um eventual esquecimento de que estamos na companhia de Deus e Ele conosco, implica em uma derrota sem fim.  

Ao mesmo tempo em que devemos ter consciência da companhia de Deus, devemos agir em prol do plano divino. A ordem divina deve ser cumprida, e o Senhor está observando se seus servos estão fazendo o certo ou o errado. Este é um desafio da liderança porque o dever não pode ficar no esquecimento, visto que tal atitude denotaria numa rebelião por parte do servo.

Veja o que Jesus disse:

“Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. (conf. João 13.16)”.

Portanto, o líder deve cumprir a Palavra de Deus, tanto em sua vida pessoal, como no exercício de seu ministério e na vida das pessoas que ele lidera.  

Novamente vejamos o que diz os versos 7 a 9:

“Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares”.  

Aplicação:

Ao mesmo tempo em que somos informados que o Senhor está conosco por onde quer que andarmos, ao mesmo tempo, nos esclarecemos que é um desafio estar na companhia dEle, e estar com Ele não é tão simples como muitas vezes imaginamos. Devemos exercer a liderança conforme expressa em sua Palavra na condição de servos e nada mais.    

De: 07/01/2012
Por: Pr. Márcio Aguiar da Silva



Deixe seu comentário abaixo
0 comentário

 

Quanto é :

2021 Reformata - Pr. Márcio Aguiar da Silva
"Por uma reforma na vida, na igreja e na teologia"
Desenvolvimento: Agência Kairós

» Blog do Pastor (Em breve!)     » Mensagens vivas